sexta-feira, 4 de março de 2011

Let There Be Rock - Episódio 3: 60s, Parte 2/3: Beatlemania


Hello Hello, amigos do Bar Obi-Wan! Estou de volta hoje para o mais novo episódio de "Let There Be Rock", dando continuidade às minhas postagens anteriores. Mas antes gostaria de me desculpar pela minha ausência total nas atividades do blog durante essa semana. Estive bem ocupado e sobrou-me pouco tempo para postar aqui, o que acabou dando um resultado nulo. Felizmente, o feriado finalmente chegou, e terei 5 dias livres para compensar o atraso. E como é Carnaval, onde o Samba predomina no país inteiro (já é assim normalmente, mas nessa época piora), nada melhor que começar com um Rock de qualidade.

E que qualidade: no post de hoje falarei sobre nada mais nada menos que os Beatles! Quem nunca ouviu falar nessa famosa banda sequer uma vez em sua vida inteira é porque passou os últimos 50 anos em coma ou isolado da sociedade. A importância do quarteto para a História do Rock é inegável, já que a cena musical mudou de forma radical após o surgimento deles, sendo que influenciam até hoje uma verdadeira legião de artistas e fãs dos mais diversos gêneros musicais, até mesmo os mais distintos do Rock N' Roll. O sucesso que fizeram na época foi algo fora do comum, mesmo para os padrões de hoje. Para quem conhece pouco sobre os garotos de Liverpool, esta aqui é uma boa oportunidade para saber mais sobre suas trajetórias e suas tão famosas canções.

Como já citei lá na primeira postagem, o jovem John Lennon montou, junto com alguns amigos seus da escola, uma banda chamada The Quarrymen. Esses amigos eram Paul McCartney, George Harrison e Pete Best, que depois de um tempo saiu da banda, dando lugar a Ringo Starr. A mundança de nome para The Beatles só veio em 1960, fazendo então um trocadilho com a palavra "beat", que significa ritmo ou batida, e "beetle", que é besouro em inglês. Com isso, seguiram tocando em pequenos bares da região de Merseyside e tentando um contrato com alguma gravadora. E isso só aconteceu em 1962, quando conseguiram um contrato com o selo "Parlophone", pertence a gravadora EMI.

O debut deles só foi acontecer em 1963, com o disco "Please Please Me", que contém clássicos como "Twist and Shout", "I Saw Her Standing There", "Boys", "Do You Want to Know a Secret" e a homônima "Please Please Me". O sucesso dentro da Inglaterra foi absoluto, graças a sonoridade simples e contagiante das canções. Não foi a toa que lançaram, no mesmo ano, seu segundo disco, "With The Beatles", com "It Won't Be Long", "I Wanna Be Your Man" e os covers "Please Mister Postman", "Roll Over Beethoven", "You Really Got a Hold on Me", "Devil in Her Heart" e "Money (That's What I Want)". Com isso, ganharam ainda mais fama e passaram a se destacar em outras partes do mundo também.

Em 1964, veio a consagração mundial: o lançamento do filme e do álbum "A Hard's Day Night" (conhecido aqui no Brasil como "Os Reis do Iê-Iê-Iê"), que conta com as clássicas "Can't Buy Me Love" e a faixa-título "A Hard's Day Night". Ainda nesse ano, lançaram o single "I Want to Hold Your Hand", apareceram no Ed Sullivan's Show (velho programa de TV exibido no horário nobre inglês) e lançaram outro LP, "Beatles for Sale", de onde pertencem músicas como "Baby's in Black", "Eight Days a Week", "Rock N' Roll Music" e "Mr. Moonlight". A partir daí, o fenômeno estourou pelo mundo inteiro, e assim começou a "Beatlemania", onde as pessoas tinham cortes de cabelo como os dos Beatles, se vestiam como eles, montaram bandas para tentar imitá-los/homenageá-los, e claro, os acompanhavam da melhor forma possível para a época. Onde quer que você fosse, os Beatles estavam em destaque, suas músicas estavam nas paradas, e seus discos estavam entre os mais vendidos.

Em 1965, lançaram o filme e o disco "Help!", que trouxe as famosas "Help!", "Ticket to Ride", "Yesterday" e "Dizzy Miss Lizzy". Nesse mesmo tempo, porém, o quarteto, não conseguindo lidar com tamanho sucesso e fama, entrou no mundo das drogas, sendo que o próprio Ringo confessou que todos atuaram sobre o efeito de maconha em algumas cenas. Como reflexo, isso começou a afetar a sonoridade do grupo. Meses mais tarde, ocorreu o lançamento de "Rubber Soul", que trazia músicas bem diferentes das gravadas até então, com o uso experimental de alguns instrumentos mais exóticos, como violão indiano de 12 cordas e maracas. Entre elas, temos "Drive My Car", "Nowhere Man", "If I Needed Someone", "I'm Looking Through You", "Michelle" e "In My Life". Mesmo assim, foi tudo extremamente bem aceito por público e crítica, sendo que alguns consideram este como o melhor dos Beatles.

Em 1966, começaram a realizar o uso de drogas mais pesadas e alucinógenas, como o LSD, e de uma forma bem mais frequente que antes. A prova disso está no lançamento do ano, o excelente mas controverso "Revolver", que trouxe o Fab Four mais experimental do que nunca, combinando alguns sons inimagináveis a sua música. Entre as canções, "Taxman", "Eleanor Rigby", "I'm Only Sleeping", "Yellow Submarine", "And Your Bird Can Sing" e "Tomorrow Never Knows" foram as que mais se destacaram na época. Apesar do ótimo resultado, a popularidade deles caiu, já que a mudança no estilo não agradou a alguns fãs. Mesmo assim, a febre continuava pelo globo todo.

Em 1967, saiu o filme e o LP "Magical Mystery Tour", que foi um fiasco de bilheteria, mas continha ótimas músicas como "All You Need Is Love", "I Am The Walrus", "Magical Mystery Tour" e "Hello, Goodbye". Aí sim eles tiveram uma boa baixa de popularidade, mas conseguiram recuperá-la rapidamente. Ainda em 67 lançaram o hit esmagador "Hey Jude", que reconquistou a todos com sua belíssima sonoridade e seus 7 minutos de duração, e o fantástico disco "Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band", com um som totalmente psicodélico, porém mais acessível, e que tem em seu repertório "Lucy in the Sky with Diamonds" (nome alusivo ao LSD, bem como ritmo), "Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band", "With a Little Help From My Friends", "Getting Better", "Good Morning Good Morning" e "Within You Without You". Conhecido por suas referências e possíveis mensagens, gerou muita polêmica na época, mas também conquistou ainda mais pessoas por todos os cantos possíveis.

Em 1968, a relação entre os membros começou a mudar bastante, sendo que eles brigaram diversas vezes durante a composição do novo álbum, seja pela influência de Yoko Ono em John Lennon, seja por sugestões de Linda McCartney ou seja até mesmo por simples divergências de idéias. De qualquer forma, "The Beatles (White Album)" foi lançado em novembro daquele ano, com um som bem mais sólido que nos anteriores, gerando músicas como "Back in the U.S.S.R.", "Ob-La-Di Ob-La-Da", "Dear Prudence", "While My Guitar Gently Weeps", "Blackbird", "Birthday", "Yer Blues", "Helter Skelter" e "Good Night". Sem dúvidas mais uma obra-prima, aclamada por público e crítica. E ainda nessa época lançaram o famoso single "Revolution", que alguns dizem ser, junto a "Helter Skelter", uma das origens do Metal.

Em 1969, o lançamento do filme "Yellow Submarine", junto com o disco, não teve uma boa repercussão, mesmo contando com "Hey Bulldog", "Yellow Submarine" e "All You Need is Love" na trilha sonora. Mas isso era reflexo de como estava a relação entre o quarteto, que brigava cada vez mais e indicava que o fim estava próximo. De qualquer forma, gravaram a maior parte do álbum "Let It Be", lançado no ano seguinte, e ainda fizeram o seu último disco juntos, a obra-prima "Abbey Road", bem sólida, psicodélica e "Rock N' Roll", com clássicos como "Come Togheter", "Here Comes The Sun", "Something", "Octopus's Garden", "I Want You (She's So Heavy)" e "The End", marcando o fim do play e da banda. O sucesso foi esmagador, e todos o aprovaram. Sua capa é um das mais conhecidas da história, sendo que já teve diversas referências em programas de TV, filmes e fotos.

Em 1970, "Let It Be" é lançado, com um estilo diferente do que vinha sendo apresentado, contando até mesmo com elementos de "Southern Rock", que nem era muito popular na época. Apesar de não ter a agradado a todos, este é um disco injustiçado, pois conta com ótimas músicas como "Let It Be", "Get Back", "I Me Mine" e "Dig a Pony", mas ficou meio apagado ao lado dos 3 últimos laçamentos do Fab Four. Nesse mesmo ano, é anunciado que os Beatles chegaram ao fim. "O sonho acabou", segundo John Lennon. Então, cada Beatle seguiu sua própria carreira solo, mas isso ficará para depois...

Então é isso, guys and girls. Juro que tentei fazer o texto ficar pequeno, mas não consegui, pois são muitos detalhes importantes envolvendo cada lançamento. De qualquer forma, fica aí a história da banda que mudou o mundo para vocês. Semana que vem eu volto, falando sobre a segunda metade da década de 1960. Fiquem agora com algumas músicas dos Beatles:










YAY!

Um comentário:

  1. Belo post,parabéns pela escolha!
    The Beatles 4ever! \,,/
    Abraços.

    ResponderExcluir